11.3.09

Embrutecidos. Num estado intermédio entre a vigília e o sono. A velocidade constante, de certa forma imóveis. Já disse, a porra do referencial. Sons, tentativas, saltos. Um tracejado que nunca fora planeado a descolar do papel reciclado. Canta, não te cales. Estou cansado de olhar para os papéis. Apetecia-me saltar desta janela, no bom sentido. Voar, embater, penetrar-me na realidade.

2 comentários:

Daniel Silva disse...

Desculpa lá, mas o que escreveste consegue ser melhor do que a musica e o video... Espectacular... Fluente, penetrante... hum... prometes :)

Heartbeats disse...

obrigado :)

como o bichinho da escrita só me dá de vez em quando, ocupo o restante tempo com outras vertentes eheh

abraço