25.1.10

Dias solarengos

O mundo em mim desvanece. Farrapos de realidade penetram-me como se nunca me tivessem abandonado, sem violência. Não é preciso ultraviolência para sentir o Verdadeiro Deserto do Real. A Ultraviolência activa demasiado a amígdala, demasiada inibição, demasiada contenção. A realidade é reacção, é esquecermos os silogismos modernos. A realidade é o êxodo urbano, o êxodo moderno. É ser puro pelo conhecimento. Sim, atingir a pureza pela corrupção. O conhecimento não como fim em sim mesmo. É nascer de novo. É sorrir e engolir raios de sol, sem voracidade, de modo passivo, volto a repetir. Mas reactivo, extremamente reactivo. Isto é, não definhar ou obstruir os meios de captação, a forma; deixar crescer o conteúdo. Sim, percorrer as ruas rotineiras, o chão frio de betão, as ervas silvestres, as pessoas anónimas. Sentir o orvalho nos olhos. Sim, o magnífico sol a entrar dentro da realidade, a ressaltar as linhas dos contornos, a vibrar o ar frio, tornando-o cristalino, verdadeiramente majestoso. E no final do dia, acreditar nas possibilidades. Nas milhentas possibilidades que tornam a volição num metal precioso, mas invisível aos olhos com medo. Aos olhos sem orvalho.

4 comentários:

Tiago Almeida disse...

o kubrik avariou-te os neuronios com a ultraviolência :P me likey likes want a glass of milk boy ? :D

Heartbeats disse...

Não é nada disso! Vá ler o Slavoj, senhor Tiago. =P

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Gostei. MUito. Frases curtas, pensamentos que so tu decifrarás, mas pequenas pérolas como "É nascer de novo. É sorrir e engolir raios de sol,(...)percorrer as ruas rotineiras, o chão frio de betão, as ervas silvestres, as pessoas anónimas. Sentir o orvalho nos olhos. Sim, o magnífico sol a entrar dentro da realidade, a ressaltar as linhas dos contornos, a vibrar o ar frio, tornando-o cristalino, verdadeiramente majestoso. E no final do dia, acreditar nas possibilidades.".

E terminas assim: "aos olhos sem orvalho". LINDO.

Abraço-te. Muito

Heartbeats disse...

Obrigado Daniel! =) É tão bom estar feliz, em uníssono connosco e com o mundo, nem que seja só num dia solarengo. Os momentos contam eternidades.

Vai td bem ctg?
abraço